AO VIVO
Menu
Busca segunda, 02 de agosto de 2021
Busca
Aracaju
28ºmax
20ºmin
Correios Celular - Mobile
Cidade

Femama recomenda que mulheres aguardem até um mês após serem vacinadas contra a Covid-19 para fazere

VEJA

06 julho 2021 - 19h45Por Fernanda de Souza Pires
Femama recomenda que mulheres aguardem até um mês após serem vacinadas contra a Covid-19 para fazere

A Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) publicou um alerta para as mulheres que precisam fazer a mamografia para realizarem o exame de duas a quarto semanas  após terem sido vacinadas contra a Covid-19.


De acordo com a presidente voluntária da Femama, a mastologista Maira Calfelli Caleffi, se a paciente tiver tomado a vacina o ideal é que ela conte ao médico e espero no mínimo 15 dias antes de realizar o procedimento.

Segundo um balanço, nas últimas seis semanas, foi registrado um aumento agudo de descrições pelos radiologistas, nos laudos de mamografias e ultrassonografias, da presença de linfonodos, também chamados gânglios ou ínguas, nas axilas das pacientes, sugerindo doenças que deveriam ser investigadas. 

“A paciente, quando ela não está atenta para isso, realmente se apavora”. A mastologista diz ter recebido também muitos casos para investigar, com indicação de punções e cirurgias. “Coisa que não é necessário, desde que a gente constate que ela foi vacinada naquele braço, ou até no braço contralateral, nos últimos 15 ou 30 dias”.


Depois desse período, os linfonodos regridem. “Por isso, a Femama está fazendo um alerta para prevenir contra essa preocupação. Mas, se tomou a vacina de Covid-19, aguarde de duas a quatro semanas, porque já tem chance de nem aparecer nada”, finaliza.

Por fim, a presidente da Femama esclarece que a vacina contra o coronavírus não provoca câncer. “Essa alteração nos gânglios é uma reação do corpo ao imunizante e não tem nenhuma relação com câncer, célula maligna de qualquer natureza. É uma reação inflamatória, como se fosse até uma febre”, finalizou a profissional em uma entrevista à Agência Brasil.